skip to Main Content
Mieloma Múltiplo Aos 30, 40 Ou 50 Anos

Mieloma múltiplo aos 30, 40 ou 50 anos

Pessoas mais jovens também podem desenvolver este tipo de câncer

Embora seja muito raro, é possível acontecer um mieloma múltiplo aos 30, 40 ou 50 anos de idade. No Brasil e no mundo há casos de pacientes com menos de 60 anos, diagnosticados com este tipo de câncer. O que muda? Venha entender.

O mieloma múltiplo

É sempre importante termos em mente o que é o mieloma múltiplo (MM), para entendermos o porquê de seu surgimento. Ele tem início na medula óssea. Os linfócitos se diferenciam para, então, tornarem-se plasmócitos, que são responsáveis pela produção de imunoglobulinas de vários tipos (anticorpos). Aqui ocorre uma mutação celular em um ou mais genes e passam a produzir plasmócitos anormais (doentes), que fabricam imunoglobulinas anormais e de forma repetida, chamadas de proteína monoclonal ou proteína M.

De acordo com um estudo apresentado pelo The New England Journal of Medicine, 37% dos pacientes têm 75 anos ou mais, 26% estão entre 65 e 74 anos e 37% têm idade inferior a 65 anos.

Embora nos Estados Unidos a incidência do mieloma múltiplo venha se mantendo estável há décadas, alguns estudos mostraram um aumento de casos justamente na faixa etária jovem.

Estes dados podem indicar que, hoje, com os avanços da medicina e do conhecimento sobre a doença, o diagnóstico vendo acontecendo de forma precoce e mais assertiva.

Mieloma múltiplo em pessoas jovens. Como ele se apresenta?

É possível que em estadiamentos iniciais, a pessoa não observe sinais da doença. Mas, quando o câncer evolui, assim como nas pessoas acima dos 60 anos, pacientes jovens também apresentarão um ou mais sintomas do mieloma múltiplo:

  • Fraturas e dores ósseas, em especial na região da coluna
  • Perda de peso considerável e sem motivo aparente
  • Anemia, que causa fraqueza
  • Dificuldade em urinar, devido aos problemas renais
  • Sede excessiva, por conta do aumento dos níveis de cálcio

Este tipo de câncer ainda é pouco conhecido pela população no geral. E por ser mais comum aos idosos, as pessoas jovens não associam estas alterações como possíveis sinais do mieloma múltiplo.

Entretanto, o diagnóstico precoce é fundamental, independentemente da idade. Quanto antes o mieloma múltiplo for descoberto, maiores serão as chances de uma remissão. Por isso, fique sempre atento às mudanças de seu corpo!

Melhores resultados no tratamento

Como vimos na matéria “O mieloma múltiplo tem tratamento e você precisa saber disso”, são várias as opções terapêuticas que podem ser utilizadas tanto nos pacientes abaixo dos 60 anos, como nos pacientes mais velhos.

Mas a principal diferença é que, para os pacientes mais jovens, o transplante de medula óssea autólogo é a indicação padrão.

Este procedimento acontecerá da seguinte maneira:

  1. A medula óssea é estimulada para que as células-tronco hematopoiéticas passem à corrente sanguínea. Por meio de um cateter, serão passadas por uma máquina e logo depois guardadas em uma bolsa especial.
  2. Antes de receber as células já coletadas, o paciente passará por uma sessão de quimioterapia de altas doses (melfalano). O objetivo é que as células cancerígenas que possam estar presentes sejam destruídas e também preparar o paciente para receber a nova medula óssea.
  3. Após esta etapa, as células que foram coletadas serão reinfundidas no paciente, com o objetivo de fazerem a medula óssea voltar a funcionar corretamente.
  4. Após uns dias, a medula começará a funcionar e fabricar células sanguíneas normalmente.
  5. Depois da recuperação do transplante, em cerca de 2 ou 3 meses o paciente será submetido a tratamento de consolidação ou manutenção (a depender do protocolo estabelecido na instituição onde está sendo tratado).

Alguns estudos mostraram que a estratégia de tratamento, seguida pelo TMO autólogo, apresente maiores taxas de sobrevida em pacientes sem contraindicações de TMO.

Sendo assim, o transplante de medula óssea possibilita, para a maior parte dos pacientes, principalmente os mais jovens ou elegíveis ao procedimento, maiores chances de remissão da doença e melhor qualidade de vida.

Se você é paciente de mieloma múltiplo e tem menos de 60 anos, deixe seu comentário nesta matéria!

This Post Has 5 Comments
  1. Fui diagnosticada com MM em abril de 2019 aos 31anos de idade…
    Fiz 6 ciclos de quimio protocolo VCD..
    Fiz o transplante autólogo em dezembro de 2019… E estou na fase de recuperação ainda …Mais me sentindo surper bem, dando continuidade ao tratamento.
    Antes de ser diagnosticada nem sábia que existia o mieloma múltiplo…
    Graças à Deus temos o privilégio de termos você doutor Breno Gusmão para nos auxiliar e nos informar cada vez mais sobre este tipo de câncer…
    Obrigada.
    12/03/20
    São Luís ma

    1. Neliane, muito obrigado pelo carinho. Fico muito feliz que seu tratamento esteja surtindo resultados positivos e se precisar de qualquer coisa, estou à disposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
×Close search
Search