skip to Main Content
No Verão, Atenção Ao Câncer De Pele

No verão, atenção ao câncer de pele

Doença é altamente curável, mas conhecer os sinais é fundamental para um diagnóstico rápido e precoce

Laço Dezembro LaranjaDezembro Laranja é o mês da conscientização sobre o câncer de pele. Para alertar a população sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce, a Sociedade Brasileira de Dermatologia lança uma campanha totalmente focada nos sinais e sintomas da doença, intitulada #SINAISDOCANCERDEPELE.

E no Brasil, país tropical, no qual a exposição ao sol parece algo normal desde criança, os números são bastante alarmantes. De acordo com Instituto do Câncer (INCA), todos os anos são diagnosticados cerca de 180 mil novos casos da doença. Ou seja, 1 em cada 4 casos novos de câncer, é de pele.

Não é uma doença única

São diferentes os tipos de câncer de pele, que também podem se manifestar de maneiras distintas, porém os mais comuns são:

Câncer de pele não melanoma. Seus tipos mais comuns são o carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular. Considerado o câncer mais frequente no país, apresenta altos percentuais de cura quando detectado e tratado logo no início. Mais comum em pessoas acima dos 40 anos e com pele clara, a exposição prolongada e repetida ao sol, sem a devida proteção, é um dos principais fatores de risco, seguido também por histórico familiar.

Câncer de pele melanoma. Este é o tipo mais grave da doença e pode ser fatal, caso não descoberto e tratado logo no início. O motivo? Ele apresenta alta probabilidade de desenvolver metástases – quando a doença se espalha para outros órgãos. Sua origem se dá nos melanócitos, células produtoras de melanina, substância que determina a cor da pele. Exposição prolongada e repetida ao sol, exposição a câmeras de bronzeamento artificial, pele clara e histórico familiar são seus principais fatores de risco.

De olho nos sinais

Os sinais e sintomas de câncer de pele são muito importantes e devem ser observados! Eles também diferem entre os subtipos da doença.

O câncer de pele não melanoma tem como principais sinais manchas na pele que coçam, ardem, descamam e/ou sangram e feridas que não cicatrizam em até quatro semanas. Já o tipo mais grave da doença, o câncer de pele melanoma acontece a partir do aparecimento de uma pinta escura e de bordas irregulares, que também é acompanhada de coceira e descamação. Essa pinta pode aumentar de tamanho e apresentar alterações na sua coloração e formato.

Os locais em que ficam mais expostos ao sol, são os mais predispostos para o desenvolvimento da doença, como o câncer de pele no rosto, câncer de pele no couro cabeludo, nos braços e nas pernas. Mas é possível que a doença surja em qualquer local do corpo, incluindo mucosas e solas das mãos e pés.

Se tiver sinais como estes, procure por um dermatologista! Não deixe passar muito tempo, o diagnóstico precoce é fundamental para os bons resultados no tratamento.

O câncer de pele tem cura. Mas a prevenção é o melhor remédio!

Tomar os devidos cuidados para evitar a doença é o caminho ideal. E bem simples. Afinal, pacientes com leucemia e linfoma não estão livres deste tipo de câncer.

  • Evite a exposição ao sol entre 10h e 16h
  • Use proteção adequasse, como bonés, chapéus, óculos escuros com proteção UV, sombrinhas
  • Aplique na pele filtro solar diariamente
  • Use também filtro solar nos lábios e no couro cabeludo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
×Close search
Search