skip to Main Content
Açúcar E Câncer. Entenda A Ligação Entre Eles

Açúcar e câncer. Entenda a ligação entre eles

O açúcar, propriamente dito, não fará seu corpo desenvolver um câncer

Há alguns anos, começaram a surgir discussões sobre a ligação entre o açúcar e câncer. As informações disseminadas diziam que consumir o produto faria com que as células cancerígenas se alimentassem dele, tornando-se ainda mais fortes e resistentes ao tratamento.

Mas será que isso é verdade? Para tirar as dúvidas, conversamos com a Camila Farias, nutricionista especializada em Oncologia da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Açúcar pode causar câncer?

Camila: uma publicação, realizada pelo Memorial Sloan Kettering sugere que, apesar de as células cancerígenas se alimentarem da glicose (do grupo dos açúcares simples), reduzir a quantidade de açúcar ingerida não fará, necessariamente, que estas células parem de se desenvolver. Por isso, não é correto afirmar que o açúcar alimenta o câncer. É bom deixar claro que o açúcar não é o responsável pelo desenvolvimento do câncer. Não há evidências que o açúcar provoca câncer. O que causa a doença são mutações genéticas.

Mas então por que as pessoas associam o açúcar ao câncer?

Camila: Uma alimentação rica não só em açúcar, mas também em gorduras saturadas, alimentos ultraprocessados e refinados, podem estar associados ao aparecimento do câncer. Já se sabe que o aumento da gordura corporal provoca alterações hormonais e um estado inflamatório crônico, que estimulam a proliferação celular, inibindo a apoptose. A Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, da Organização Mundial de Saúde, realizou uma avaliação que concluiu que o peso corporal adequado contribui para a redução do risco de desenvolver 13 tipos de câncer.

Mas então é a obesidade que está relacionada ao câncer, e não o alimento açúcar, propriamente dito?

Camila: Sim. O consumo exagerado de carboidrato é um dos principais responsáveis pelo aumento da gordura corporal e, consequentemente, da obesidade. E é preciso lembrar que o excesso de açúcar não está somente nos alimentos mais óbvios. É possível encontrar doses exageradas de açúcar em alimentos como iogurtes, sucos de frutas e molhos industrializados, e cereais matinais. Diminuir a ingestão de açúcar pode auxiliar para manter o peso adequado e reduzir a incidência de doenças crônicas e, até mesmo, o câncer.

E qual a melhor opção de açúcar para utilizar nas preparações?

Camila: Independentemente de qual dos tipos de açúcar a pessoa optar, é preciso ficar muito atento para não exagerar. Qualquer tipo, até mesmo a versão light, pode provocar problemas relacionados ao alto consumo de açúcar, como diabetes e obesidade. As escolhas alimentares são muito importantes. Não existem alimentos milagrosos, muito menos uma dieta que dará 100% de certeza de que você não terá câncer. Contudo, é imprescindível fazer um acompanhamento nutricional para saber quais as reais necessidades do seu corpo.

Conheça os principais tipos de açúcar

Refinado – O mais conhecido entre os açúcares. Durante o processo de refinamento, alguns aditivos químicos, como enxofre, são adicionados para dar a coloração branca. Nesse processo, porém, algumas vitaminas e sais minerais acabam sendo perdidos.

Mascavo – É o açúcar em forma bruta, extraído depois do cozimento do caldo de cana. Como não passa por refinamento, apresenta coloração mais escura e sabor mais encorpado, semelhante ao da cana-de-açúcar. Sem refinamento, são preservados o cálcio, o ferro e os sais minerais.

Cristal – É apresentado na forma de cristais grandes e transparentes, mais difíceis de serem dissolvidos em água. Passa por leve processo de refinamento, mas mesmo assim 90% das vitaminas são retiradas. É mais apropriado para o uso culinário.

Orgânico – O açúcar orgânico tem as mesmas calorias do açúcar comum, mas preserva uma pequena parte dos nutrientes presentes na cana de açúcar. A diferença principal é que durante a produção do açúcar orgânico não são utilizados ingredientes artificiais, adubos, fertilizantes químicos ou agrotóxicos em nenhuma etapa. Ele também se diferencia por não ser refinado, tendo um formato mais grosso e mais escuro, além de ter um preço mais caro.

Light – É resultado da combinação do açúcar refinado com adoçantes artificiais. É menos calórico, mas também tem menor sabor. Por isso, é preciso cuidado para não usar grandes quantidades e acabar perdendo o benefício das calorias a menos.

Frutose – É o açúcar extraído de frutas e do milho. Muito mais doce que os anteriores, esse tipo de açúcar, apesar de ser natural, tem menos vitaminas que os outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
×Close search
Search